Vereadores se reúnem com prefeito para tratar das filas de espera para consultas e procedimentos cirúrgicos - Notícias - Câmara Municipal de Criciúma

Notícias

Vereadores se reúnem com prefeito para tratar das filas de espera para consultas e procedimentos cirúrgicos

21/05/2018 Vereadores se reúnem com prefeito para tratar das filas de espera para consultas e procedimentos cirúrgicos
Fotos: Daniela Savi Texto: Câmara de Vereadores

Os vereadores de Criciúma estiveram reunidos na tarde de hoje (21/5) com o prefeito Clesio Salvaro. Na pauta do encontro, solicitada pelos parlamentares, a demora no atendimento em consultas e procedimentos realizados pelo Sistema Único de Saúde. A reunião ocorreu na sala de atos, na prefeitura. Na última semana, o tema foi trazido pelo vereador Paulo Ferrarezi (MDB), na sessão ordinária. O parlamentar anunciou números de cidadãos que estariam, na fila, há muito tempo, para consultas, por exemplo, com neurologista, ortopedista, oftalmologista e para ultrassonografia mamária. Estiveram presentes, quinze vereadores.

Atualmente, a fila para consulta em oftalmologia geral é considerada a maior com 7.455 pessoas. O tempo de espera para a consulta é de até 23 meses, mensalmente, são disponibilizadas 320 vagas, sendo que 412 é número de solicitações. Segundo a secretária de saúde, Francielle Lazzarin, pessoas com doenças crônicas são as que mais procuram por especialistas.

O presidente do Legislativo, vereador Julio Colombo (PSB) Julio Colombo, destacou que foi uma reunião muito positiva. “O encaminhamento foi através da marcação de uma audiência com o secretario estadual de saúde de Santa Catarina, Acélio Casagrande, para que possamos desafogar, desde o centro cirúrgico, reduzindo o número de cirurgias. O prefeito nos garantiu recursos para todos os exames que automaticamente diminuem as consultas, então saímos com uma impressão muito boa dessa reunião e acreditamos que vamos caminhar para uma solução o mais rápido possível”, disse Colombo.

Para o vereador Paulo Ferrarezi (MDB) que também é presidente da comissão de saúde da Câmara a reunião serviu para esclarecer os reais números na fila de espera. Ferrarezi reafirmou o compromisso que os vereadores têm com cada cidadão e que essa situação depende do empenho de todos em busca de uma real solução. “Vamos marcar uma reunião com o Secretário de Saúde para também tentar viabilizar a fila de cirurgia, para que ande junto, exames, consultas com especialistas e as cirurgias. Esperamos que, em breve, tenhamos a solução deste problema em nossa cidade. Estamos trabalhando, juntamente com todos os vereadores e a prefeitura. O objetivo de nós, como vereadores para com a nossa cidade, é fiscalizar, e buscando uma solução para os problemas”, comentou.

Segundo o prefeito Clésio Salvaro, o Município está cumprindo com as obrigações constitucionais e que existem recursos para contratar exames e consultas, mas no momento a necessidade, de fato, é a conscientização da população em relação às faltas. Somente no mês de abril, por exemplo, 326 pessoas deixaram de comparecer ao exame de ultrassom.

“Nós estamos com recursos para contratar consultas e exames, mas não adianta você mudar o lugar da fila, pois a consulta gera o exame e o exame gera o procedimento, então nós temos que ter uma perspectiva de zerar o procedimento que é de responsabilidade do Estado, e a partir dessa perspectiva de zeramento dos procedimentos, o Município se compromete, já que temos recursos para isso para zerar a fila de espera dos exames e, logo em seguida, das consultas. Mas é sempre bom lembrar que a responsabilidade constitucional com o Município nós estamos cumprindo dentro daquilo que é de nossa competência, e também estamos cobrando isso do Estado”.

O Chefe do Poder Executivo ainda mencionou que Estado, Município e Câmara de Vereadores estão do mesmo lado, “porque o que nós queremos é que o cidadão também nos ajude a ter uma saúde resolutiva com muito mais responsabilidade, para que quando ele for chamado para uma consulta ou um exame, que ele compareça. Hoje temos um índice de 30% de faltosos, ou seja, nós temos médicos, temos uma capacidade instalada, capaz de atender toda a demanda da população. Agora não fizemos porque o cidadão não comparece no dia e na hora marcada”.

Consultas

Em relação aos procedimentos cirúrgicos, a secretária de saúde, Francielle Lazzarin, afirma que todas as agendas são liberadas pelo Estado através da central de regulação hospitalar, ou seja, o Município não tem governabilidade no controle, apenas insere os laudos já preenchidos de autorização de internação hospitalar. Atualmente, o município conta com aproximadamente 200 médicos entre especialistas e atenção básica.

“Nós fazemos um apelo à população, para que compareçam as consultas ou avisem as suas unidades de saúde em caso de não ser mais necessário ou não quiser mais comparecer ao procedimento ou a consulta solicitada. As especialidades voltadas para doenças crônicas, como neurologistas, endócrinos ou oftalmologistas, tem uma maior dificuldade para o gerenciamento das filas, porque elas são diferentes das outras especialidades. Aonde você vai consulta e resolve o seu problema. Dependendo da especialidade varia o tempo de espera da fila. Tem consultas que levam 30 dias, 60 ou até 90 dias. A solução seria, um mutirão, ou um processo para poder dar uma agilidade, para que tenha rotatividade e poder tornar-se viável para o cidadão”, finalizou a secretária de saúde, Francielle Lazzarin.